terça-feira, 6 de agosto de 2013

Carne de Proveta

O nome não parece muito apetitoso e com certeza haverá ainda muito a se debater. Foi apresentado em Londres, na última segunda-feira, o primeiro hambúrguer de proveta após cinco anos de estudos e pesquisas, liderados pelo cientista Mark Post da Universidade de Maastricht na Holanda.

Isso significa que haverá menos desmatamento, diminuição do efeito estufa e menos crueldade com o animais nos abatedouros. Imagine você poder comer uma carne de origem animal sabendo que não houve escravidão, sofrimento e morte. Mas será que é válido?

Foto: news.sky.com
O processo é simples. Através de uma seringa, retira-se algumas células da vaca para a cultivação da "carne" e no fim são acrescentados açafrão, farinha de rosca e beterraba para dar sabor, cor e liga para o alimento. 

Com somente algumas células pode-se produzir até dez toneladas de carne e levou mais ou menos três meses para que ficasse pronta. Foi muito bem aceito pelos especialistas que disseram que tem uma ótima textura. Um avanço na ciência.

A previsão é para que em 2023 já estejam circulando nos mercados.

Eu particularmente não acho necessário esse tipo de alimento e se pensar bem, a vaca continua sendo explorada. Se chegaram ao ponto de criar uma carne em laboratório, significa que existem sérios motivos pra isso, para que aos poucos as pessoas mudem seus hábitos alimentares. Citei três deles no início. Por outro lado, como muita gente não se preocupa e nunca deixará de consumir alimentos de origem animal, talvez seja um pouco a favor desse hambúrguer, pois quem sabe um dia as coisas realmente melhorem e os abatedouros aos poucos passem a deixar de existir! Só tem que pensar que isso não resolverá todos os problemas relacionados ao consumo de animais.

“Muita gente considera carne feita em laboratório repulsiva num primeiro momento. Mas se eles soubessem o que acontece nos abatedouros para a produção de carne normal, também achariam repulsivo.”  
Helen Breewood, pesquisadora da equipe e vegetariana.

O vídeo abaixo (em inglês) da uma pequena introdução da apresentação dessa carne revolucionária.




Fontes: